Ciro de Oliveira Machado
Referência:

"Mercado desaba à espera da guerra".
Bovespa perde 18% na semana.
Petróleo sobe 5,5%; na Europa, Bolsas caem ao nível da crise russa.
Folha de São Paulo - Folha Dinheiro - Guerra na América, 15/09/2001, página 17

15/09/2001

Nossa Opinião

O prognóstico

Em 1998, consta da primeira edição de nosso livro "A Nova Economia Política", o seguinte texto:

"Como toda verdadeira ciência, a Nova Economia Política apresenta prognósticos sobre o futuro imediato da humanidade.

Sua principal constatação é a de que estamos caminhando para uma situação sócio-político-econômica insustentável.

Ela prevê de imediato, grandes perturbações, talvez as maiores de nossa história.

Será apenas a partir da adoção de uma nova moeda neutra (e seus juros de equilíbrio), que o mundo entrará em equilíbrio, com a solução definitiva de seus principais problemas: o desemprego mundial de homens e máquinas; os problemas cruciais da inflação e da deflação; as vertiginosas oscilações (com tendência decrescente) do índice das ações das bolsas do mundo inteiro; a crise de crescimento interno de todas as economias; a crise de crescimento e desenvolvimento do comércio internacional.

Qualquer que sejam os resultados das próximas ocorrências mundiais, cremos numa futura humanidade adotando como principal regra econômica, a moeda neutra de desenvolvimento (e seus juros de equilíbrio) em sua trajetória rumo a uma prosperidade crescente".

Já estamos próximos desta previsão feita há três anos atrás, só nos faltando a inexorável queda do dólar como moeda internacional.

O que fazer?

Muitas das respostas podem ser encontradas neste site e no citado livro, inclusive o que poderá ser feito no Brasil - exposto resumidamente no Artigo: A Nova Economia Política - Rumo à Prosperidade, na página Artigos, também deste site.

Algumas reflexões

Pelo esgotamento do sistema comunista, assistimos o colapso de sua economia e o desmoronamento da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas.

Assistiremos o colapso do capitalismo graças ao profundo desequilíbrio que ele está causando à economia mundial e, também, às suas dramáticas conseqüências para todos nós.

Fatos estes que, por uma aparente ironia, o destino antecipou suas ocorrências pelas quedas de dois importantes ícones representativos do comunismo e do capitalismo: respectivamente, o muro de Berlim e as Torres Gêmeas do World Trade Center de New York.

Já estamos assistindo a muitas perturbações e ainda assistiremos a perturbações ainda maiores, causadas pela guerra contra o terrorismo e pela depressão máxima que virão.

Mas, ainda sob o efeito desses eventos, na medida em que conduzirmos o mundo ao equilíbrio econômico, por meio da adoção da moeda neutra nacional e internacional de desenvolvimento, poderemos assistir à sua grande reconstrução...

Poderemos também assistir o aparecimento de ilustres líderes e estadistas que permitirão a construção desta nova ordem mundial, os quais, depois dessas experiências traumáticas, serão capazes de compreender que as grandes potências emergentes jamais poderão ser construídas sobre o domínio, a opressão, o desrespeito, a pobreza, o ódio de outras nações e de outros seres humanos.

Assim, poderemos assistir o nascimento de grandes potências e de nações ricas, onde prevalecerão a liberdade, a justiça social e a paz.

Ilustres líderes e estadistas que, reconhecendo a necessidade de acabar com a discórdia reinante na Terra, induzirão essas novas grandes potências a construir e a conquistar a arma mais poderosa que existe: aquela que é capaz de tornar obsoleto todo o arsenal bélico do mundo.

Arma, cujo nome é a PAZ!

A PAZ MUNDIAL que será conseqüência do equilíbrio econômico, do respeito à liberdade, aos direitos, à justiça e ao bem estar de cada ser humano neste planeta...


Emmanuel Gama de Almeida
Ciro de Oliveira Machado