Ciro de Oliveira Machado
Referência:
FHC liga EUA à pobreza no Brasil

(Folha de São Paulo, 2/3/2000)
04/03/00

Nossa Opinião

FHC fala basicamente em "protecionismos": os EUA não permitiriam a entrada de produtos brasileiros em seu território, a menos que cobrassem uma taxação exagerada. Daí nossa dificuldade em criar postos de trabalho, daí novos trabalhadores desempregados, daí uma contribuição a mais para nossos problemas de país emergente...

Será que FHC está certo nessas críticas sobre esse "protecionismo"?
Ou a síndrome desse desemprego (que também atinge maciçamente outros países, exceto os EUA) tem outras causas?

"A Nova Economia Política", em seu "Resumo" e no "Estudo de Caso dos Problemas Brasileiros", nos dá a explicação cabal desses fenômenos ligados ao desemprego. Suas verdadeiras causas aparecem num estudo da História Econômica, desde a década de 20 até nossos dias. É da análise do procedimento do Governo dos EUA e de seus conglomerados
financeiros–industriais que temos a real visão deste contexto.

Nesses textos são apresentadas, também, as soluções cabais deste grave problema, soluções estas que cabem exatamente a nós e não dependem de nenhum outro país do mundo.

Este fenômeno criador da pobreza brasileira não esta ligado ao protecionismo norte-americano uma vez que os EUA foram, nas últimas décadas, extremamente deficitário em seu balanço de pagamentos.

É valido o que FHC falou, mas com outras causas e motivações que estão apresentadas na "Nova Economia Política".